terça-feira, 20 de outubro de 2009

A mais lenta e a mais rápida

No post anterior mostrei que a prova de Porto Alegre foi a mais lenta de todas no RS se compararmos o tempo médio que os ciclistas levaram para cruzar a linha de chegada.

Abaixo tem um gráfico que mostra a distribuição acumulada dos ciclistas ao longo de faixas de tempo de hora em hora. Ou seja, cada coluna mostra quantos "porcento" dos ciclistas que concluiram a prova chegaram até aquela faixa de tempo.

Para exemplificar: Enquanto que no domingo passado apenas 30% dos ciclistas tinham chegado com até 11 horas, em Santa Cruz do Sul em 2006 72% dos ciclistas já tinham completado a prova!!

Eu completei SCS 2006 em 12:10. :-(

2 comentários:

21 de out de 2009 23:06:00
Andarilho disse...

Achei muito interessante esta abordagem embasada em estatítica, fizeste muito bem isto. Neste Audax em questão, que levantou estas reflexões, conheci meu outro lado. Acho que todos temos perfis diferentes sobre condições adversas. Curioso como alguns poucos, praticamente não sentiram significtivamente o vento, mesmo rápido, e outros que pedalaram devagar, pelo contrário. Os lentos deveriam sentir menos, justamente pelo ritmo menor, questão de física. Cada um... Cada um!!!
Parabéns pelo post.

21 de out de 2009 23:21:00
Kieling disse...

Opa! Obrigado pelo elogio. :-)

Em 2005 e 2006 quando pedalei até o 600 percebi que, apesar de pica-pau, sob condições ruins a minha posição no pelotão melhorava!

Eu simplesmente não piorava tanto quanto os demais quando as coisas apertavam.

Eu nunca descobri o porque disso, mas acredito que tem a ver a minha personalidade meio instrspectiva que não se abala muito com as coisas ao redor.

Abraços
Kieling

Postar um comentário