quinta-feira, 24 de setembro de 2009

A ACP e o Brasil - Parte IV

Com o meu mau-humor de volta vai aí mais um post sobre as nossas homologações.

Por todas as confusões de 2004, 2005 e 2006 o Audax em 2007 deu uma recuada no RS. Apenas 2 criaturas se propuseram a continuar a organizar provas no RS, eu e o Faccin. A boa notícia foi que o Luiz Carlos em Pelotas e o Mogens em Ijuí resolveram encarar a organização de um 200.

Mas o Audax é muito grande para caber dentro das provas de 200km, por isso eu e o gringo de SCS nos propusemos a ir um pouco adiante. SCS organizou o 300 e Lajeado o 400, já que o Faccin prometeu nos dar uma força.

Não me lembro se Ijuí homologou a sua prova, Pelotas sei que não cumpriu com essa obrigação. Acredito que isso não ocorreu apenas pela desinformação, pois até onde me lembro, (ôôô memória) pagamos menos de 2 reais (ou seria 1?) por cada ciclista que homologamos. Ou seja, só no quarto ano da existência do Audax no RS os valores pagos pelas homologações foram por nós considerados como justos e coerentes com o que a ACP prega.

Resumindo, depois de muito tempo conseguimos uma certa paz entre nós, "os revoltados do Sul", e os representantes da ACP para o Brasil e América do Sul, além disso, como a eleição (ou seria indicação?) para esse cargo seria feito durante o congresso realizado durante o PBP acreditávamos que à partir dali não teríamos mais problemas.

Em 2008 a paz voltou a reimar entre os "randoneiros" do Brasil, mas... sempre tem um mas...

Continua no fim de semana...

0 comentários:

Postar um comentário