segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Audax 1000 - O viking verde-amarelo

Abaixo tem um vídeo mostrando a chegada do último "farrapo" do Audax 1000. O ciclista em questão é o meu amigo, e amigo de todos que fazem Audax, Mogens Nielsen. O seu brado de guerra, acredito eu, remonte a um passado muito remoto quando os vikings cruzavam a noite aterrorizando seus inimigos. :-)



Durante o último Audax 400 ele completou 60 anos, se bem que o seu espírito viking, já que ele é dinamarquês de nascimento e brasileiro por opção, não permite que a alma envelheça. E é essa alma, esse espírito jovem que lhe permite fazer coisas que poucos "guris" se arriscam a fazer. É claro que, como todo guri ele nos apronta de vez em quando, pois por 2 vezes o Mogens ficou hospitalizado após provas de Audax.

Da primeira vez, num 300 de 2006, ele caiu a menos de 100 metros da chegada sofrendo na ocasião um deslocamento da bacia, esse acidente lhe custou umas quantas semanas de internação em Porto Alegre. O segundo grande susto foi no ano passado quando ele "saiu da estrada" durante uma prova em Curitiba, dessa vez umas costelas quebradas deixaram ele num hospital paranaense por alguns dias.

Conheci o Mogens durante o primeiro Audax 200 de Lajeado em 2006, pois ele junto com o Glademir vieram pedalando de Ijuí até Lajeado. Aquelas 2 figuras impagáveis chegando de bicicleta para pedalar um 200 quase se igualaram ao Udo, o nosso Forrest Gump tupiniquim, dando a nossa prova um colorido especial.

A paixão pelo ciclismo foi tão grande que não coube dentro dele, dali surgiu o embrião que hoje é o Ijui Bikers, hoje tão bem conduzido por outro amigo, o Marcos. Já em 2007 ocorreu o primeiro Audax 200 de Ijuí, prova que me orgulho de ter me inscrito nas suas 3 edições e completado a prova por 2 vezes. A prova de Ijuí é uma prova que surgiu tímida, mas que hoje é uma ótima referência para toda a região oeste do estado do RS e na última edição teve mais de 80 inscritos.

Durante todo o sábado estávamos preocupados com a possibilidade dele não conseguir chegar dentro do tempo, pois estava "lambendo" os tempos de fechamento dos Pc's, mas a chegada da noite lhe fez muito bem, possibilitando que a chegada fosse dentro do prazo estabelecido.

A chegada foi emocionante, pois estava sendo acompanhado pelo Erich, que foi seu anjo da guarda desde General Câmara e pelo Miguel, anjo da guarda, diretor de prova, mecânico, conselheiro,... de todos os inscritos no Brevet dos Farrapos. Em frente ao Hotel estavam menos de 10 pessoas entre voluntários e ciclistas que completaram, ou não, os 1000km sendo que a emoção tomou conta de todos nós, pois naquele momento um amigo completava a maior prova de ciclismo realizada de forma contínua no Brasil, coisa inimaginável a poucos anos atrás.

Quando, daqui a alguns anos, for contada a história do ciclismo de longa distância no Brasil o evento que se encerrou ontem pela manhã terá um lugar muito especial. E nessa história não estará só o Mogens, pois estarão junto a ele o Pexe, o Saul, o Cicero, o Luiz Faccin, o Rodrigo, o Bughera, o Udo, o Rubens, o Rogério Bernardes, o Edson, o Isac, o Dacivaldo, o Luís Lazary, o Jonas, a Lidiane e o Jeferson.

Os meus sinceros parabéns a eles, deixando claro que nesse cumprimento tem um ponta (grande) de inveja.

Sobre o Luiz Faccin, ciclista, organizador e super-randonneur eu escrevo outra hora, pois o cidadão é um capítulo à parte. ;-)

3 comentários:

7 de ago de 2009 17:51:00
Róger D'Oliveira disse...

Parabéns pelo espaço!

24 de ago de 2009 15:57:00
Aivy disse...

Me diz se esse meu pai não é o cara mais legal do mundo =)
Mas eu tive que perguntar para ele o que ele gritou afinal, porque pelo vídeo só fica impossível entender.

25 de ago de 2009 22:55:00
Kieling disse...

O pai mais legal do mundo sou eu :-), mas o Mogens não faz feio!

Mas me explique qual o significado daquele grito. Estou curioso.

Abraços
Kieling

Postar um comentário