terça-feira, 4 de março de 2008

Problemas no Audax Rio

Abaixo esrá o comunicado que o Eduardo postou em algumas listas de discussão e no blog do Audax Rio sobre as dificuldades que ele está enfrentando para liberar o Audax na cidade maravilhosa.

Aqui de longe estamos torcendo para que tudo termine bem.

******

Nos últimos 10 dias estive imerso em um grande e lento processo burocrático para obtenção da autorização para a prova. Muitos podem se perguntar: não havia esta autorização? A resposta é não. Como o tempo era curto e a equipe de organização é pequena, embora nada preguiçosa ou desinteressada, decidimos fazer tudo em paralelo. O carnaval determina o início do ano e nada funciona antes da quarta-feira de cinzas.

Nestes dias reunimos toda a documentação e encaminhamos aos muitos órgãos que precisam autorizar a prova. Porém, duas sub-prefeituras e a CET - Rio (Companhia de Engenharia de Tráfego do Rio de Janeiro) negaram a autorização. A sub da Zona-Sul simplesmente negou e a da Barra justificou que as ruas são perigosas para as bicicletas e que só poderíamos fazer a prova fechando meia faixa de rolamento o que atrapalharia o trânsito num eventual sábado de sol, quando muitos vão de carro pra praia.

Estamos tentando alternativas como obter uma ordem superior a estes órgãos que conquiste a autorização ou realizar a prova num circuito de estrada. Nesta última alternativa o problema é que a Polícia Rodoviária Federal também considera que estrada não é lugar de bicicleta.

Eis as possibilidades:

1) Conseguimos a autorização da Prefeitura do Rio imediatamente e fazemos a prova normalmente como combinado previamente;

2) Conseguimos a autorização da Prefeitura do Rio em alguns dias e, por valorizar a qualidade do evento adiamos por 2 ou 3 semanas;

3) Não conseguimos a autorização da Prefeitura do Rio, mas a PRF autoriza e mudamos a prova para um trecho de estrada no entorno da Baía de Guanabara;

4) A Prefeitura não autoriza e a PRF também não, mas fazemos uma prova com pouca infra-estrutura, possivelmente nenhum patrocinador (a propaganda precisa de autorização da Prefeitura), mas ainda valendo Brevet;

5) Sem nenhuma autorização cancelamos oficialmente a prova, devolvemos o dinheiro dos que já se inscreveram, mas divulgamos a planilha e ficam todos à vontade para pedalar no percurso de 100 ou 200 km, porém sem valer para obtenção de Brevet.

Espero que todos compreendam que estamos fazendo o máximo para viabilizar a prova, mas que dependemos da benevolência de terceiros.

Um forte abraço

Eduardo Bernhardt

1 comentários:

6 de mar de 2008 09:54:00
Anônimo disse...

6ª alternativa: façam as provas do sul :)

Postar um comentário