quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Dicas para um iniciante - Não invente!!

Sob pressão tem muita gente que acaba saindo "da casinha" e tentando inventar numa prova de Audax.

Se nunca pedalaste em pelotão, não faça isso num Audax! No início é legal andar na roda do pessoal que pedala mais, mas com o passar dos quilômetros e das horas, todos nós temos os reflexos diminuídos e a possibilidade de queda aumenta muito. Além dos machucados causados pela queda, tu vai passar o resto da prova tendo que administrar a "fúria" do pessoal que, involuntariamente, levaste ao chão. Se quiseres andar no vácuo, treine com os seus amigos em distâncias menores, um Audax não é lugar para se aprender isso.

Powerger, powerbar, maltodrextrina e tantos outros suplementos alimentares são importantes ao longo duma prova dessas. Se está pensando em levar alguns deles num Audax, experimente eles em seus treinos para a prova para ver se o seu organismo os aceita sem problemas. Em algumas cidades pode-se fazer toda a prova alimentando-se somente das comidas oferecidas nos PC´s e nada mais. Todos esses complementos são excelentes, mas sendo ingeridos numa condição de stress podem causar mais mal do que bem.

As provas de 200km normalmente tem saída pela manhã, por isso a vistoria tem que ser feita na noite anterior e é ali que muitos novatos "enlouquecem" ao verem todos os apetrechos que muitos dos veteranos levam. Tem pneu importado mais caro que pneu de carro, tem capacetes que valem mais do que muitas bicicletas e algumas bicicletas que valem mais do que um carro. Além disso, tem peças de última geração que deixam qualquer um de boca aberta.

A vontade de fazer bonito, misturado ao medo de não chegar, pode ter como consequência alguma aquisição de última hora. Aquela sapatilha leve e de última geração mal regulada pode fazer o seu joelho pifar antes do primeiro PC, aquele pneu levíssimo pode ser fino demais e furar a toda hora, a bermuda de gel importado, e que custa meio salário mínimo, sem a devida adaptação ao teu corpo pode ocasionar "lembranças" que levarão semanas para desaparecer.

Resumindo: Não invente, não faça nada de muito diferente do que sempre fizeste e jamais coloque nenhum componente na sua bicicleta que não tenha sido devidamente testado!

3 comentários:

17 de jan de 2008 12:50:00
Jean disse...

É isso aí, falou a voz da experiência!

Se me permite acrescentar uma pequena opinião da linha daquilo que você falou sobre alimentação: um dia de Audax é um dia anormal, mas é bom manter uma certa normalidade na alimentação, começando pelo café da manhã (se o atleta sempre coma uma torradinha e um café com leite, não adianta no dia da prova se entupir com 4 torradas, bananas e batida de aveia). Um reforço no café é ótimo, mas sem exageros.

Outra coisa é o que comer durante. Os géis realmente causam estranheza para quem não costuma ingerí-los, mas há que se cuidar também o que se come na estrada. Temos várias histórias de Audax X Pastéis X Banheiro improvisado do meio do mato, hehehe....

Abraço, Kieling

Jean

17 de jan de 2008 22:56:00
Kieling disse...

Eu possuo uma dessas história sobre problemas com alimentos estranhos. No Audax 300 de 2004 em Caxias eu "adubei" a estrada várias vezes nas proximidades de Tainhas e Lajeado Grande. Tudo resultado de um filé de peixe comido na noite anterior ao Audax.

Outro cuidado é não deixar que o cansaço no fim da prova tire a vontade de comer, se isso acontecer o fim da prova pode ser complicado. Mesmo sem muita fome é importante comer alguma coisa, já que o gasto calórico é muito alto.

Kieling

4 de fev de 2008 23:17:00
Romi disse...

Eu levei mariola, barra de cereais, banana passa (pode ser uva passa também), castanhas de cajú (ou castanha do pará, nozes, amendoas). Qq coisa desse tipo, desde que esteja acostumado a isso. São coisas pequenas e cabem no bolsinho traseiro. Eu recebi um powergel num dos audax, mas não usei (fui usar meses depois em um passeio qualquer).
=O)

Postar um comentário