sábado, 25 de agosto de 2007

Relato PBP - Luiz Faccin

Segue abaixo uma conversa via MSN, realizada a poucos minutos entre o Faccin e a família dele em Santa Cruz do Sul-RS.
**


primeira noite com chuva, mas sem muito frio, como tinha dormido pouco fiquei com sono das 5h ate as 16h deste dia, choveu muito ao meio dia. pedalei mais com o Jorge Portugues que pedalou o quinto pbp e a Silvia que e francesa e foi com a camisa do brasil tb

paramos para almocar no pc e depois eu fui descer uma escada malhada a cai bati o cotovelo esq, braco dir e as costas, mas sorte que eu estava com gel luvas e mais alguma coisa no bolso da camisa e protegeu um pouco, sai na rua no estacionamento de bike com dor e pensei em ir para a enfermaria do pc, mas iria perder tempo e melhor nem olhar ate o final do audax devia estar curado

no estacionamento veio um casal frances falar comigo, eles perguntaram de onde eu era, etc e pediram o meu autografo, estavam com um cartao postal com assinaturas de tudo que e tipo, inclusive em japones, escrevi meu nome e o pais e dei um adesivo do brasil para eles, sai mais animado depois do tombo

liga para a maristela e pede para entrar no messenger se ela conseguir

vou continuar escrevendo o relato e depois eu posso enviar por e mail; esse teclado e bem ruim

no comeco pedalavamos sempre no vacuo dos outros ciclistas e se forma uma fila interminavel, larguei na primeira leva da laegada de 90 h

mas depois vc sempre encontra outros para andar junto, se for o caso reduz o ritmo e fica em outro grupo, nos pcs tem comida boa e barata, mas um pouco de fila, o pior era os japoneses que nao entendiam nada a atrasavam um pouco, no retorno e dependendo do horario nao tinha filas, ou so uns 2 ou 3 e as filas eram para banho, so tomei um em Loudeac na volta, e para pegar colchao, dormi 4h no carro

na ida, no carro de volta na volta em loudeac e depois 15 minutos no chao em Montagne au Perche e ja de manha no cafe da manha em Dreux a menos de 100 km da chegada dormi mais 15 minutos sentado com a cabeca em cima das roupas

saindo de Tintaniac pc andei uns 8km e o nucleo do k7 comecou a falhar, ate que nao pegou mais

bati e ele funcionou, andei mais de 40 km sem parar de pedalar / freiando na decida e pedalando e sem para na subida

tive que parar para urinar, mais uns 15 minutos e o nucleo engatou, assim eu fui e fiz muitas vezes, haja saco, chovia e um italiano me alcancou, sofri, mas consegui conversar com ele, quase so falava frances, ele era de bergamo e ficou apavorado quando o nucleo falhou denovo, me perguntava o que eu iria fazer e eu so disse, deve andare, vou girar ate fermare, ou coisa do tipo, depois disto parei

mais umas 4 vezes, estava cansado e nao conseguia manter sempre a corrente esticada e girando, 84 km e cheguei no controle de Loudeac o Lacerda estava la desolado que tinha batido o carro alugado para fazer o apoio para o nosso grupinho eu estava querendo desistir, assim nao tinha graca

so iria desistir depois de dormir, eu tinha tempo, e de comer e foi o que fiz, o Erich que tinha dormido me acordou, dizendo para nao desistir e para irmos, mas eu tinha que acertar a bike, disse vai indo que eu vou decidir o que fazer

comprei uma roda traseira por 58 euros colocada na bike

peguei as coisas rapidamente, tomei cafe e sai para continuar na prova, na realidade queria desistir mesmo, mas era muito legal passar por cada vila medieval linda e ver cada igreja, ver as pessoas torcendo na beira da estrada, lembrei do casal do autografo, de um senhor tocando gaita para os ciclistas na beira da estrada, das criancas abanando, das familias com a mesa com queijo e vinho fazendo

festa na frente de casa para ver os ciclistas, nao queria perder isto e isto que me motivou a sair em direcao a BREST= so isto=

tava chuviscando e escuro e eu sai, andei 3km e furei o pneu traseiro, nao tinha nada no pneu, andei mais 3 km e furei denovo o mesmo pneu, voltei pedalando com p pneu furado ate o pc, falei com o cara da loja de bike, mostrei a fita de raio, onde tinha furado a camara, comprei 2 e sai, mais 10.80 euros, adivinha? andei 5 km e o pneu furou denovo, voltei la e acredite se quiser fui educado como um

frances, mas aprendi disse que era a terceira vez que estava furando, que era na fita e que eu estava cansado


frances, mas aprendi disse que era a terceira vez que estava furando, que era na fita e que eu estava cansado

ele trocou a camara a fita de raio e nao cobrou, nem quis centrar a roda, estava torto depois de andar tanto com pneu murcho, o pneu e bom e nao estragou, o pc estava para fechar e eu sai atrasado

pedalai com um grupo de espanhois que andava bem, tinham ate treinador, equipe de 6 e tudo, eu andava so no vacuo, o trajeto tinha muita subida a andavamos a20 kmh

cheguei no pc de carhaix faltando 45 minutos para fechar o pc e nao demorei muito, os espanhois ficaram la furando a fila e conversando, comendo, o dia melhorou, mas o vento muito forte e muita subida, vento lateral; lia nos relatos do pbp que o pessoal caia e ficava dorindo na beira da estrada, mas vi ciclista caido antes de brest que e a metade do caminho. o vento assoviava na bike,e segundo a

previsao era de 60km/h em alguns locais. estava chegando a mais uma vila, Sizun e tem uma igreja linda, subida, estava quente e os bares estavam cheios de ciclistas famintos, cansados, fedidos etc furei o pneu traseiro, mas desta vez foi um arame/

parei no cafe, compre 2 sanduiches de baguete, agua e cafe, sentei na escada em frente e ficava comendo e observando tudo, fui na lojinha do lado e comprei alguns postais da cidade, ja que estava sem maquina fotografica, estava saindo quando lembrei que tinha que trocar a camara de ar, para chegar a BRest ainda era longe, se,pre e longe depois de ter pedalado tanto

a chegada em brest com calor, vento foi emocionante, mais emocionante foi ver um senhor tocando gaita de fole da Bretanha para os ciclistas que passavam em uma esquina de uma rua de BRest. deu vontade de chorar e eu chorei mesmo, e foi bom, nem sei porque, foi de emocao, a ponte de BRest e linda, mas tem um vento la em cima, Em Brest, comi massa, molho, arroz,

agora sô faltava voltar= so isto, parece facil. O vento era a favor, ou lateral e eu andava no meu ritmo e o meu ritmo no plano era de mais ou menos 25 km/h, mas isto eu nao tinha como ter certeza nunca, o velocimetro ficou sem pilhas no km 260 e eu estava sem velocimetro e sem relogio. so perguntava as horas nos pcs e sabia o quqnto de tempo tinha chegado antes do fechamento, era isto que importa


pedalei, pedalei, encontrei uma ciclista da Dinamarca que ja tinha conversado comigo e com o jorge no primeiro dia, conversei um pouco com ela, mas segui na rente no meu ritmo, parei em alguma vila, onde estavam muitos ciclistas dormindo tomando cafe em um bar, tomei o meu cafe, alonguei, comi um chocolate que tinha comprado no caminho em alguma das paradas do dia a segui; o sono

cheguei em montagne au perche a meia noite e 30 minutos, carimbei e deitei no chao perto da entrada ao lado de outros malucos, liguei o celular e pela primeira vez falei com a minha esposa durante o pbp, disse que faltavam so 200 km e que estava com tempo para dormir, mas eu iria conseguir

dormi 15 minutos acordei se segui, tinha folga de tempo, peguei mais cafe e fui, muito comun ver ciclista em qualauer canto dormindo; a esta altura estou bem cansado de escrever e me desculpem os erros neste teclado frances. Nao tenho certeza do nomes dos pcs e vou encurtar um pouco.

tinha muita subida novamente, e chovia, o mais ruim da chuva era o meu tendao que doia mais com o frio, o corta vento que comprei por 44 euros funcionou muito bem;

cheguei em DREUX, ultimo pc era cedo e tinha tempo suficiente para fazer os mais 78km até a chegada.

dormi 15 minutos com a cabeca em cima da mesa e acordei com alguns franceses que estavam participando pela terceira vez comentando sobre algo pouco comun, ver a camisa do brasil no pbp. Muito simpaticos conversei um tempo com eles e me avisaram que tinha mais 3 subidas fortes ate a chegada. tomei cafe e segui pedalando rapido por uns 30 km e depois chegamos em varias subidas em uma floresta e eu f

fui no ritmo normal sem muita pressa, perto da chegada choveu de novo e eu me molhei, estava com a camisa do brasil e queria chegar com ele, sem colocar o corta vento, muitos semaforos fechados e cheguei as 12 e 26 o Lacerda e o Cesar Barbosa estavam la;

fiquei um tempo no ginasio conversando com o pessoal, encontrei a Dinamarqueza e o marido, as italianas, outros italianos perguntando da prova, do brasil, alegres

etc, etc: acho que a ficha do que e fazer o pbp so vai cair quando chegar no brasil; O Marcelo Lucca me ligou e avisou que o Erich estava perto e fiquei feliz em saber que o Formiga e o Lazary tb tinham brevetado:

final, em casa eu posso escrever mais depois

algumas coisas no pbp/ muito lixo que os ciclistas jogam fora, inclusive roupas

carros de apoio dando apoio escondido nas estradas

abracos, vou comer e descansar, tenho que pegar o bus para ir ate o hotel

2 comentários:

25 de ago de 2007 15:13:00
ninki disse...

Lendo esse breve relato do Faccin, ja estou imaginando quantas histórias sensacionais vamos ouvir quando ele voltar...
Kieling que vc continue "viciado" em postar no blog, sem vc a gente não teria nem 10% das informações sobre os nossos amigos!

ninki

25 de ago de 2007 16:28:00
Carol disse...

Olá!
Concordo com a Ninki, e já me queixei para o Didio, pois agora ele vai passear e eu não terei tantas notícias, ficando a mercê de um possível telefonema ou "mail" ou ainda msm.
Foi sem dúvida mto salutar esse blog para todos. O Kielilig, realmente tem futuro neste campo também!!!
Um grande abraço
Maristela

Postar um comentário