segunda-feira, 21 de maio de 2007

A força que veio do Cerrado

A minha conversa com o pessoal de Brasília começou sem muitas pretenções, afinal de contas esse ano teriam provas de 400 em SP e Curitiba. Mas a conversa com o Ricardo, a Cíntia e a Andréa foi evoluindo e fui percebendo que o nível de interesse foi crescendo, as dúvidas eram menos genéricos e já estavam pedindo sugestões de hotéis e como chegar em Lajeado.

Um belo dia eles se inscreveram, mesmo assim fiquei meio desconfiado, mas no mesmo dia à noite o Ricardo me ligou, fez mais uma série de perguntas e me disse que as passagens estavam compradas.

Na 6a. feira pelas 18 horas, uma das "gurias" me liga dizendo que estão em frente ao Shopping aqui em Lajeado, fui até lá e os levei até o hotel. Mas antes disso eles, meio apavorados, me disseram que as bicicletas deles não haviam sido embarcadas e que chegariam mais tarde.

No sábado pelo manhã aparecem os 3 na vistoria e o Ricardo me confessa que dormiu mal, pois a bicicletas que deveriam ter chegado às 22 horas só chegaram às 4 da manhã.

Na prova o Ricardo foi na frente e só conversei com ele no PC1, as meninas eu vi no PC1 e jantei com elas no PC3 e depois perdi contato. De vez em quando cruzava com eles no meio daquela cerração que se uniu ao frio no meio da prova.

O Ricardo e a Andréa completaram a prova e a Cíntia abandonou no km 365 devido a uma lesão. Ainda não consegui "engolir" esse abandono tão perto do fim, a única explicação plausível é que eles gostaram tanto da prova que precisavam de uma desculpa para voltar no ano que vem.

Parabéns aos 3 e quem sabe um dia possamos retribuir a visita deles pedalando lá em Brasília.

À esquerda "disfarçada" está a Andréa e ao seu lado a Cíntia. Reparem no nevoeiro ao fundo, isso que essa foto foi tirada perto das 8 da manhã.
Do Ricardo fico devendo a foto.

Crédito da foto: Giovani Faccin

0 comentários:

Postar um comentário