sexta-feira, 30 de março de 2007

A estrada de terra - parte II

Uns dias atrás escrevi sobre as belezas da estrada por onde passará o Audax 200 de Lajeado, hoje vou falar um pouco das dificuldades que ela apresenta.

Na minha opinião a maior dificuldade é que ela se localiza no fim da prova, entre os km 175 e 187, e isso "pega" os ciclistas bem cansados, mas o maior problema para alguns é ficar pensando durante mais de 150 km que o pior ainda vem pela frente. Se a estrada fosse no início da prova tudo se resolveria de maneira mais fácil.

O pessoal que vem para Lajeado com o único objetivo de chegar, sem tentar fazer um grande tempo, deve fazer uma "poupança" de tempo para poder trafegar por essa estrada com muita calma. Sugeriria um planejamento para deixar uma hora para fazer esse trecho. Com essa "poupança" o que poderia ser um tormento vira diversão, vira motivo para fotografias, vira motivo para descer da bicicleta e olhar o rio. É o limão virando limonada.

Trafeguei de carro por essa estrada uns dias atrás e ela está, só para variar, ruim e temos que torcer que continue assim, pois se a prefeitura quiser arrumá-la as coisas podem ficar piores. Nesse tipo de estrada a única coisa que pode ser feita é dar uma "patrolada" tentando tirar um pouco dos buracos e depois largar "material" por cima. Material em estrada de chão é cascalho, e nada pior que uma camada desse material posta numa estrada como aquela.

Quem vier de speed vai ter de empurrar em 2 subidas que existem logo na saída de Roca Sales, pela simples razão de que não vão conseguir tracionar em meio as pedras soltas.

Nas fotos abaixo detalhes da pior das subidas capturada por um dos irmãos Faccin.


0 comentários:

Postar um comentário