domingo, 25 de fevereiro de 2007

O Audax de Santa Cruz

É o terceiro ano que acontece o Audax em Santa Cruz do Sul e pela proximidade é uma prova em que muitos lajeadenses participam. Tem os "fominhas" que não perdem nenhuma prova durante o ano, tem o pessoal que trabalha na organização da prova de Lajeado e que não pode pedalar por aqui e tem o pessoal que está começando a pedalar que aproveita que SCS tem um percurso mais plano do que Lajeado.

Em 2005 estivemos entre 16 ciclistas em 2006 acho que foram uns 12. Esse ano estaremos no mínimo com o número de inscritos de 2006.

Para quem nuca pedalou essa prova vão umas dicas sobre o percurso. O início é terrível, pois tem a pior subida da prova que fica logo após a saída da cidade, ela tem uns 3,5 km e é bem chata de subir, principalmente porque estão todos ainda frios e "meio" dormindo. Mas como tudo que sobe tem que descer, logo após tem a "serra" das 7 curvas (acho que é isso) que é mais longa e mais suave. Depois desse início com altos e baixos só vai ter problemas novamente no km 30 no Cerro da Boa Esperança, na ida a subida tem 1,8 km e é mais suave que a da Unisc, na volta essa subida é mais íngreme porque é mais curta, cerca de 1,2 km.

A uns 2km do PC1, no km 60, tem mais um morro chato de subir, mas ele tem menos de 1 km, ele pode ser visto de longe já que é nele que se localiza uma antena de retransmissão de celular.

O PC é muito legal, a dona Irma que é dona do Pesque e Pague Panorama já é figura conhecidíssima de quem faz Audax, já que todas as provas de Poa e SCS utilizam o seu comércio como PC.

Os 40 km dali até o segundo PC podem ser divididos em 2 partes. A primeira parte, com cerca de 15 km, é a mais complicada, ela vai até a entrada de Santo Amaro e possui muitas subidas e descidas. Logo após a saída do Pesque e Pague tem uma longa descida até um riacho e após a ponte, óbviamente, tem a subida, que é a pior dessa parte da prova.

De Santo Amaro em diante a pista fica mais plana com poucos trechos inclinados. Dali até São Jerônimo tem que se redobrar o cuidado com os carros e os trevos de entrada nas cidades e localidades à beira do caminho. Normalmente essas entradas escondem buracos na pista e motoristas pouco acostumados ao tráfego de ciclistas. À cerca de 10 km do PC2 tem a paisagem mais bonita da prova que é o cruzamento do Rio Jacuí. Vale a pena parar e tirar uma foto.

No km100 junto ao segundo PC tem um mercadinho muito simples (pelo menos tinha nos anos anteriores) e não é bom ir achando que dá para comprar algo por ali, o melhor é se informar com a organização e ver o que vai ser oferecido gratuitamente. No caso do "cardápio" oferecido pela organização não agradar na volta tem um restaurantre muito bom uns 3 ou 4 km depois da ponte do Jacuí.

A volta não tem segredo já que é pelo mesmo caminho. Só não dá para esquecer que o PC3 fica a quase 60km de SCS e não a 50km como muitos estão acostumados das provas em POA.

SCS só é mais difícil que a prova de Porto Alegre, que infelizmente não sairá esse ano.

0 comentários:

Postar um comentário