terça-feira, 30 de janeiro de 2007

200 km de Lajeado no Google Earth - parte II

Teve gente que teve dificuldade para baixar o arquivo do Google, por isso decidi incluir a imagem no post.

Dá para se ver claramente que a prova passa em boa parte pelas margens do Rio Taquari, que é cruzado 4 vezes ao longo da prova.

Falta o PC2 que fica na cidade de Venâncio Aires, no canto inferior esquerdo da imagem.

domingo, 28 de janeiro de 2007


A idade média do PBP 2003 com seus mais de 1200 km foi de 48 anos! O pessoal já se surpreende em terras tupiniquins quando dizemos que a média dos 2 Audax 600 realizados aqui no RS beirou os 40 anos.

No gráfico acima dá para notar que a idade que teve maior número de inscritos foi 50 anos, com mais de 320 ciclistas. Vale a pena reparar bem no cantinho direito do gráfico a idade do participante mais velho.

O guri tinha na época 78 aninhos!!

sexta-feira, 26 de janeiro de 2007

Novo Calendário Audax

Depois do cancelamento das provas de Curitiba e a tranferência da prova de Florianópolis segue abaixo o novo calendário brasileiro de Audax para 2007.

200 km - 20/01 - Ubatuba- SP - Realizada
200 Km - 28/01 - Florianópolis, SC - Tranferido para março (aguardar nova data)
200 km - 10/02 - Via D. Pedro- SP
200 KM - 04/03 - Santa Cruz do Sul, RS
200 km - 10/03 - Curitiba - PR - Cancelado
200 Km- 10/03 - Niterói, RJ
200 Km- 10/03 - Campos do Jordão- SP
200 Km - 11/03 - Caxias do Sul, RS
200 km - 18/03 - Ijuí, RS
200 km - 31/03 - Curitiba - PR - Cancelado
300 Km - 31/03 - São Paulo - SP
200 Km - 25/03 - Brasília- DF
200 km - 01/04 - Lajeado, RS
300 KM - 14/04 - Santa Cruz do Sul, RS
300 Km - 22/04 - Brasília-DF
300 km - 28/04 - Curitiba - PR - Cancelado
400 Km - 29/04 - São Paulo - SP
400 km - 19/05 - Lajeado, RS
400 km - 26/05 - Curitiba - PR - Cancelado
600 Km- 08/06 - São Paulo
600 km - 16/06 - Curitiba - PR - Cancelado

quinta-feira, 25 de janeiro de 2007

Audax de Curitiba cancelado

VEJA O POST ATUALIZADO!!!
Clique aqui.

O Roberto Coelho mandou um email para o grupo audaxbr (
http://http://br.groups.yahoo.com/group/audaxbr/) informando do cancelamento de toda a série de provas que estava prevista para Curitiba.

É uma pena, pois quem está envolvido com Audax sabe de todo o empenho que o Roberto teve para levar essas provas para lá. Vamos torcer para que aconteça algo de última hora e que as provas ocorram.


Abaixo cópia do email

**********************

Olá companheiros,

Com grande tristeza no meu coração informo que o Audax Paraná nfelizmente não vai sair. Foram meses de preparação, empenho de muitas pessoas envolvidas. Trabalhamos com afinco para que o evento saísse, fizemos todo o levantamento dos trechos de toda a série, com altimetria inclusive, para sermos impedidos de realizar as provas por um burocrata, um idiota chamado Paulo Castro, funcionário da RodoNorte, concessionária da BR 277, que nem ao menos teve a capacidade de ler o projeto muito bem elaborado que fizemos para apresentar o Audax.

Nossa intenção era fazer algo muito bem feito e estávamos no caminho certo. Poderíamos ter tentado entrar com um mandato de segurança, o que certamente resolveria a situação, mas optamos por não realizar sa provas, visto que o mandato de segurança criaria no público que não sabe o que é o Audax uma impressão errada do evento. Portanto para resguardar o nome Audax, decidimos cancelar a série no Paraná.

No entanto estaremos organizando um protesto para a data de 10/03, dia da realização da prova de 200 km, onde faremos uma pedalada até Ponta Grossa, que era o destino da prova de 200 km. Este protesto deverá contar com mais de 100 participantes, que são os interessados em participar do Audax PR e também o pessoal que treina diariamente naquele trecho de rodovia.

Um abraço,

Roberto Coelho

terça-feira, 23 de janeiro de 2007

Quais as razões para se pedalar um Audax?

Depois de uma Audax especialmente difícil, o segundo 300 km de 2006, se criou uma polêmica numa lista de discussão sobre quais são as razões que levam as pessoas a participarem de uma prova à noite, sob frio, chuva e vento. Naquele dia a largada ocorreu com menos de 10 graus e temperatura baixou até perto dos 5 graus na madrugada.

O número de baixas foi impressionante, dos 155 inscritos só 125 largaram e desses 49 desistiram, uma grande parte no PC 100 que se transformou num verdadeiro campo de refugiados.

De toda aquela discussão sobrou um texto bem legal escrito pelo Bagatini. Gostem ou não, certamente esse texto traduz um pouco do que cada um dos "sobreviventes" daquela prova sentiu.


******************



Por incrível que pareça, ainda tem ciclista que pensa que o desafio de um Audax é a distancia. Ridículo!

Querem fazer 300km de bicicleta? Peguem uma speed de 20 mil reais, escolham um asfalto vazio, reto e plano de 300km, com belas paisagens paradisíacas e sigam por ele, MP3 nos ouvidos, quando o vento estiver a favor, num ensolarado dia de primavera...

Suponhamos que as condições para participar da prova fossem:
- não haveria viva alma por 150 km de ida e 150 km de volta, a não ser os próprios participantes (por conseguinte, nada de apoio medico e mecânico, muito menos resgate);
- não haveria PC, portanto ele teria q levar sua própria água e comida;
- estivesse chovendo, com previsão de chuva para o dia inteiro;
- estivesse frio;
- a largada fosse à meia-noite;
- clareasse as 7:00 da manhã e escurecesse as 6:00 da tarde.

Se, sabendo disso, mesmo assim o ciclista resolvesse se inscrever, não desistisse na largada e passasse dos 100 km, será que ele iria desistir?

Posso estar enganado, mas penso que voltar 100 km, sozinho, no frio, na chuva e não completar o desafio, não seria mais atraente e seguro que fazer mais 200 acompanhado dos colegas e chegar ao final da prova.

Ou seja, quando a situação é extrema, a maioria das pessoas se surpreende com o que é capaz de fazer.

É bem possível que alguns dos que largaram a prova chegassem a hipotermia se continuassem. Ou sucumbissem a hipoclicemia, a câimbra, ao sono, ao cansaço (como se escreve essa palavra? :-p), pegassem uma pneumonia, escorregassem e caíssem, fossem atropelados, atacados por cachorros, abduzidos por ET's, sei lá.

Tudo poderia ter acontecido, inclusive ter concluído a prova.

Todos nos deveríamos saber quando parar. Mas será que realmente sabemos?
Será que paramos porque chegamos ao nosso limite físico, ou ao nosso limite psicológico apenas? Ou por algum outro motivo menos premente?

Alguém realmente acredita que teria morrido de frio se continuasse?
(5s para pensar...)

Continuando...
Então por que parou? Certamente não foi para não morrer...

O ser humano (com letras minúsculas, realmente... :-( ) não é nada tão grande assim. Somos animais. Ponto. Queremos três coisas:

1. sobreviver;
2. sobreviver confortavelmente;
3. sobreviver confortavelmente e, se der, atingir alguns objetivos.

Estritamente nessa ordem.

Completar o Audax é legal. Mas por que passar frio? Esta todo mundo desistindo mesmo... quem se importa? ISSO MUDA MINHA VIDA EM ALGUMA COISA?

Nada muda nossas vidas se não dermos o devido valor ao que estamos fazendo.

A consciência que o sofrimento, por mais terrível que possa parecer, é passageiro, e que, uma vez terminado, será uma mera lembrança, permite-nos superar QUALQUER limite.

Ninguém faz um Audax na chuva e no frio porque é masoquista. Essa é a explicação dos medíocres, para se justificarem aos outros e a sua própria consciência.

Enfrentamos esses 300 km até o fim, porque sabemos que a dificuldade, mesmo assustadora no momento, tinha data e hora marcadas para acabar: 20h do dia 20 de maio de 2006. Isso significa que cada minuto a mais de sofrimento, é, paradoxalmente, um minuto a menos de sofrimento. E isso nos dá alento, nos dá esperança (que deveria ser a ultima que morre, mas essa época já passou...)

Muitos atingiram seus limites físicos e psicológicos nessa prova. A eles, mesmo sem terem concluído o brevet, nossa admiração.

Outros atingiram o limite físico OU psicológico, mas não ambos. Também são dignos de todo o respeito.

Mas alguns talvez apenas não tenham conseguido desgrudar da fogueira... Nunca saberemos quem foi quem, se é que houve alguém. Nem ao menos é da nossa conta. Mas cada um de nos sabe onde se encaixa. E isso é suficiente. Ninguém deve NADA a ninguém antes, durante ou depois de um Audax.

Repito: Audax é desafio pessoal. E digo mais: DESAFIO, não piquenique. E essa prova FOI REALMENTE um desafio. Eu fiquei com medo quando aquela mãe sugeriu que se cancelasse a prova. Nós merecíamos essa chance. Não seria uma chuvinha miserável de inverno ;-) que nos tiraria ela.

É muito fácil dizer que o PC estava uma bosta. Que a banana estava verde. Que não tinha isotônico. Que não tinha camiseta. Que a enfermeira não era gostosa. Que a chuva estava molhada. Que o vento estava frio. Que Deus não me ama. Que eu não tenho dinheiro. Que a estrada estava escorregadia, esburacada e cheia de cachorros raivosos e motoristas sedentos por sangue ciclístico.

Difícil é assumir que eu estou lá porque eu quero, porque eu me propus a vencer um desafio e que ou eu enfrento isso tudo ou é melhor ficar em casa dormindo ate o meio dia e passar à tarde do sábado chuvoso ao pé da lareira comendo pipoca e assistindo aos programas imbecis da televisão. E a noite ir assistir ao Código Da Vinci, para ter mais alguém a quem criticar. Para isso TUDO não é preciso NADA de especial.

Especial foi participar do Audax 300 do dia 20 de maio de 2006. Um Audax que, como o meu grande cunhado laconicamente caracterizou, foi completado primeiro na cabeça, depois no asfalto.

segunda-feira, 22 de janeiro de 2007

Audax na mídia de Lajeado

Tem muita gente que reclama que só o futebol tem espaço na mídia, em Lajeado, graças a Deus, não temos esse problema. Ano passado o Jornal o Informativo deu ampla cobertura à prova. O primeiro link é a cobertura antes da prova, o segundo foi a cobertura que foi feita durante a prova, com a presença de um repórter que acompanhou todo o movimento por mais de 2 horas.

http://www.informativo.com.br/arquivos/pdf/9765.pdf

http://www.informativo.com.br/arquivos/pdf/9796.pdf

O Informativo é lido diariamente por mais de 45000 leitores em todo o Vale do Taquari.

Teve também uma equipe da RBSTV (associada da Rede Globo) que esteve na chegada entrevistando vários competidores, além de ter filmado boa parte da prova. Pena que não conseguimos gravar esse vídeo para disponibilizá-lo.

Esse ano estamos tentando fechar uma cobertura ao vivo pela rádio Independente, além de mantermos a cobertura do Jornal e da TV que tiveram excelente repercussão.

sábado, 20 de janeiro de 2007

Altimetria da prova


Teve muita gente que "chiou" da altimetria da nossa prova quando a publicamos ano passado. Realmente o gráfico parece um eletrocardiograma, mas é importante verificar que dificilmente ele passa dos 130 metros de altitude. O problema é uma série de lombas entre Tabaí e Mariante, com direito a umas 4 ou 5 3as. faixas e o trecho entre Venâncio e Muçum que também tem seus altos e baixo.

A prova de Santa Cruz é mais fácil, a de Caxias BEM mais difícil e a de Ijuí não temos subsídios para opinar.

quarta-feira, 17 de janeiro de 2007

Lajeado no Google Earth

O "cônsul honorário do Pedalajeado em Porto Alegre" o nosso amigo Ney nos fez um grande favor no ano passado, ele mapeou toda a prova com o seu GPS e depois gerou um arquivo que pode ser visto no Google Earth.

Fica bem interessante ver as estradas por onde a prova passa, pena que boa parte da nossa região ainda tem imagens de baixa resolução.

O link para baixar esse arquivo (menos de 40 kb) é esse:

http://www.pedalajeado.com.br/images/audax_lajeado.kmz
Está na página oficial do site do PBP as provas que se realizarão no Brasil no 1o. semestre de 2007 com os respectivos emails dos organizadores. É óbvio que a entidade organizadora da nossa prova não é o Pedalajeado e sim o "Pedala Lajeado".

Um dia esse povo acerta o nome.

Quem quiser olhar é só ir no link, tem muitas coisas interessantes no site é só ter paciência e pesquisar.


http://www.paris-brest-paris.org/EN/index.php?showpage=526

Santa Cruz divulga informações sobre o Audax


O Luiz Faccin, organizador dos Audax 200 e 300 de Santa Cruz do Sul, divulgou informações relativas a essas provas no site www.faccinadventure.com.br.

Quem quiser saber horários, local de saída e instruções sobre a prova é só acessar o site.

Os grupos Pedalajeado e Santa_Ciclismo serão parceiros na série do Audax desse ano. Nós os ajudaremos na prova de 300 km e eles retribuirão na prova de 400 km, essa "troca de favores" é fundamental em provas de tão longa distância e duração.

Na foto 11 dos 16 lajeadenses que pedalaram o Audax 200 de Santa Cruz em 2005.

segunda-feira, 15 de janeiro de 2007

Audax de Florianópolis adiado

Acabou de chegar a notícia que o Audax de Floripa foi adiado para março. Não deve ser fácil mesmo conseguir autorização para uma prova dessas na alta temporada.

Quando for divulgada a nova data publicaremos ela por aqui.

Sorte aos "catarinas" que resolveram retomar o Audax por lá, tivemos uma prova em 2005 em Brusque (Audax do Vale Europeu) que não se repetiu ano passado.

Apoio da Prefeitura

Sexta-feira a Prefeitura Municipal de Lajeado, através da Secretaria Municipal da Juventude, Esporte e Lazer confirmou o apoio as duas provas que serão realizadas por aqui.

Tão importante quanto o apoio material (palco, som, pórtico,...) é a credibilidade que esse apoio e a inclusão das provas no calendário oficial do município trazem a prova.

Esse é o primeiro de vários apoios que pretendemos conseguir para o Audax, ano passado além da prefeitura tivemos o apoio da Indústrias de Bebidas Fruki (isotônicos e água), Polícias Rodoviárias Estadual e Federal, Padaria Suíça (barras de Cereal), Arly Bikes e Casa do Ciclista (apoio mecânico).

sexta-feira, 12 de janeiro de 2007

Audax em Lajeado - o começo

Esse ano teremos apenas a segunda edição da prova de 200 km, mas toda essa história começou em 2004 quando 2 ciclistas participaram das provas de 200 e 300 km organizadas pela primeira vez no RS. Um deles, Paulo Roberto Bagatini, foi a SP fazer as provas de 400 e 600km. Ao concluir essas provas ele se habilitou para desafios maiores e topou de cara um 1200km na terra dos cangurus.

Quem quiser ler sobre essa aventura é só acessar o link
http://www.bikebrasil.com.br/artigos/artigo.php?id=10


Vale a pena.

terça-feira, 9 de janeiro de 2007

Tempos de chegada no Audax 200


Para ajudar quem está organizando alguma prova estamos publicando um histograma com os tempos de chegada das 8 provas de Audax 200 já realizadas no RS, são mais de 900 dados de amostra.

Isso ajuda a montar a estrutura na hora da chegada. 75% dos ciclistas chegam entre 9 e 13 horas. Essa distribuição pode variar muito em função do local da prova e condições climáticas, mas já é um início.

Passaportes

Todo organizador de uma prova devidamente homologada pelo ACP - Audax Clube de Paris recebe uma série de selos que devem ser colocados nos passaportes que os atletas usaram durante a prova para registrar seus tempos. Em 2006, apesar da nossa prova ter sido devidamente homologada e termos recebido os selos não pudemos devolver os passaportes, pois eles não nos foram devolvidos por quem os recebeu indevidamente. Infelizmente é o preço que se paga pela inexperiência.

Em 2007, já devidamente vacinados, organizaremos essa situação do seguinte modo: Todos os ciclistas por ocasião da apresentação da bicicleta ou do briefing receberão um envelope onde preencherá de próprio punho o endereço para onde deverá ser remetido o passaporte após a devida homologação. Estamos pensando na possibilidade de enviarmos esse documento por AR ou mesmo SEDEX, desde que o interessado pague a diferença.

segunda-feira, 8 de janeiro de 2007

Começando os preparativos

Fatando menos de 3 meses para o nosso 200 estamos começando a nos organizar. Deveremos ter a primeira reunião na semana que vem, lá deveremos criar a nossa associação com CGC e tudo mais, isso se torna necessário para que tenhamos mais respaldo junto a algumas empresas que valorizam os aspectos legais da prova. Além disso, para recebermos alguma ajuda financeira ou repasse de verbas é necessário estarmos registrados.

O pessoal de Ijuí teve a primeira reunião ainda em dezembro. Vamos ver como o Mogens e a sua turma vão se virar nesse primeiro ano, pois organizar uma prova é bem pior do que pedalar, são muitos detalhes que não podem ser esquecidos.

A prova de Santa Cruz está traquila, pudera o Faccin organiza eventos ciclísticos a uns 20 anos.

De Caxias não tenho notícias, mas os "gringo" já organizaram provas em 2004 e 2005 e já tem uma certa experiência.